Espaço Cultural Porto Seguro

tinta fresca 2018

experiências gráficas e feira de publicações
26 e 27.5 – sáb e dom
das 12h às 19h

Dois dias de oficinas gratuitas e feira gráfica para todos os públicos.

O Espaço Cultural Porto Seguro abre suas portas nos dias 26 e 27 de maio para oferecer uma programação gratuita de oficinas de diferentes técnicas relacionadas ao universo das publicações: tipografia, corte e dobra, carimbos, xilogravura, gravura em metal, encadernação, serigrafia e estêncil.

Em paralelo às experiências gráficas, o público poderá conhecer trabalhos de editoras e artistas na feira de publicações do evento, com livros, zines, pôsteres e gravuras que exploram os limites do papel e da arte gráfica.

Os frequentadores ainda poderão visitar o PortoFabLab, um laboratório de fabricação digital voltado às artes. Um espaço de interação entre arte e tecnologias digitais, com ênfase na exploração novas experiências na produção artística.

Também haverá shows e discotecagem.


Oficinas

Xilogravura
A técnica permite a reprodução de imagens impressas a partir de uma matriz de madeira talhada com ferramentas de corte, como goivas, estilete ou laser. A tinta é depositada sobre o relevo da matriz com a utilização de um rolo de borracha e a estampa é obtida a partir da pressão sobre um suporte, como o papel ou tecido. A impressão final é a imagem espelhada em relação ao desenho talhado na matriz.
Orientador: Nori Figueiredo.

Gravura em metal
A gravura permite a reprodução de imagens impressas a partir de uma matriz de metal, geralmente de cobre, gravada com instrumentos de corte, como a ponta seca, ou ácidos capazes de corroer o material metálico. A superfície da placa é entintada e em seguida limpa, de forma que a tinta permaneça apenas nos sulcos da matriz. As impressões obtidas a partir da pressão sobre o papel geram imagens invertidas em relação ao desenho gravado na matriz.
Orientador: Nori Figueiredo

Encadernação
A encadernação é a arte de dar forma e estrutura a publicações de qualquer natureza, é a espinha dorsal do livro. Pode ser feita com linha, cola, dobras e encaixes, permitindo uma infinidade de estilos e formas. O universo da encadernação também envolve a douração de livros, o conhecimentos de papéis e revestimentos, como o couro e o pergaminho, e o manuseio de diversas ferramentas e utensílios, como os furadores, agulhas, bastidores, entre tantos outros.
Orientadora: Estela Vilella

Tipografia
A tipografia é um sistema de procedimentos e técnicas de composição e impressão. Abrange desde o desenho de letras e elaboração de matrizes de tipos móveis de chumbo ou madeira até o manuseio de ferramentas e máquinas de impressão como o tira provas, prensas, prelos e guilhotinas. Com a tipografia é possível criar e compor textos literários, clichês ilustrativos, cartazes, composições artísticas, entre tantos outros.

Serigrafia
A serigrafia é o processo de reprodução de imagens a partir de uma tela preparada em que se transfere a tinta de uma lado para o outro sobre uma superfície com a utilização de um rodo. A tela, também chamada de matriz serigráfica, pode ser preparada a partir da utilização de papéis, emulsão fotossensível ou aplicação direta de tinta. Dessa forma, cria-se uma máscara sobre a tela que determina o desenho da transferência da tinta para o papel, seguindo o princípio do estêncil.
Orientador: Sutto

Carimbos
Os carimbos são formas em relevo que podem ser impressos manualmente, com uma pequena pressão, sobre superfícies variadas. Podem ser produzidos com o uso de borrachas, madeira, superfícies texturizadas e até mesmo frutas e legumes como a batata e a maçã. Suas impressões podem ser feitas com diversas tintas. É uma técnica acessível que permite a elaboração de composições fluidas e variadas.
Orientador: Gilberto Tomé e Danilo de Paulo

Estêncil
O estêncil é a técnica de impressão a partir do uso de máscaras que podem ser recortadas manualmente ou com o uso de máquina de corte à laser. Determina-se uma imagem ou texto que se quer imprimir e extrai-se o material de uma superfície de papel ou plástico por onde a tinta será transferida. A impressão é feita posicionando o estêncil sobre uma superfície e utilizam-se rolinhos, sprays ou até mesmo pincelis com tintas variadas.
Orientador: Gilberto Tomé e Danilo de Paulo

Corte e dobra em papel
As estruturas de corte e dobra podem ser muito variadas e permitem que, apenas com o uso de um estilete e dobradeira, estruture-se um papel plano em uma forma tridimensional. Ao explorar estes dois recursos de recorte e de dobra é possível transformar folhas impressas em livretos que não exigem o uso de cola ou linha.
Orientadora: Alessandra Kalko

PortoFabLab | ateliê aberto
Durante o Tinta Fresca, o PortoFabLab estará aberto ao público. O laboratório conta com máquinas de fabricação digital para a realização de experimentos criando um diálogo entre arte, inovação e novas tecnologias. Na visita, o público poderá conhecer os projetos já realizados, ver as máquinas em funcionamento e entender como foram criadas as peças usadas nas oficinas de estêncil, de carimbo, de serigrafia e de xilogravura do Tinta Fresca.


Shows

LaBaq
26/5, às 15h Nome de destaque na nova cena da música indie no Brasil, a cantora e compositora LaBaq apresenta show baseado no álbum de estreia, intitulado V.o.a., lançado no ano passado. O trabalho foi celebrado pela crítica especializada de Portugal, Espanha e França, por onde a artista fez turnê no final do ano passado. No início de 2018 foi selecionada para atuar no festival SXSW (Austin/Texas/USA).

Zé Pereira
27/5, às 15h Trio de canção autoral, formado pelos músicos Felipe de Paula (Guitarra e voz), Felippe Rodrigues (Bateria) e Lucas Pierri (Baixo), a banda se destaca pelo som ritmado, com pontuais arranjos de vozes, criativos solos de guitarra, e inesperados breques. O primeiro disco, lançado no final de 2017, foi indicado pelo site Embrulhador, famoso por fazer a lista de 100 melhores lançamentos nacionais entre os 12 melhores álbuns do ano. A faixa Te Mete, Parça! teve o título de 15ª melhor música do ano.


Discotecagem

No sábado, 26/5, a discotecagem fica por conta do DJ Formiga, integrante do coletivo Vinil é Arte, que apresenta sets com misturas de músicas do passado com produções atuais. Mescla estilos como psicodelias brasileiras, MBP70, rap, música regional, original funk, boogie brasuca e afrobeat, que se fundem e interagem, gerando novas leituras e evidenciando influências.

No domingo, 27/5, é a vez do DJ DiMangaba. Formado pelo jornalista Eduardo Lemos e pelo DJ Rafael Pucci, o DiMangaba é um projeto-tributo à música dançante, misturando ritmos da África, Brasil e Jamaica ao funk setentista norte-americano.


Realização: Ministério de Cultura + Espaço Cultural Porto Seguro + Lote 42
Produção de conteúdo das oficinas: Gilberto Tomé e Danilo de Paulo (Gráficafábrica)
Produção musical: Eduardo Lemos | Navegar Comunicação
Assistente de produção: Júlia Contreiras

COMO CHEGAR:
  • Porto Seguro
  • Gemma Restaurante
  • Teatro Porto Seguro
©2018 Espaço Cultural Porto Seguro | Todos os direitos reservados